Infelizmente o nosso site não funciona neste browser. Por favor, atualize-o para uma versão mais recente.

A Humana oferece FRETE GRÁTIS nas compras acima de R$ 100,00
A mulher submersa

A mulher submersa

Mar Becker
tipo livro
estado novo
capa comum
editora Urutau
ano de publicação 2020
categoria(s) Poesia, Ficção, Não-ficção
número de páginas 128
peso 190g
dimensões 20cm / 14cm / 1cm
R$ 45,00

descrição

Mar Becker, cuja voz possui um timbre único no cenário da poesia contemporânea feita no Brasil, apresenta-nos um trabalho maduro, tecido entre a delicadeza e a tenacidade, como uma escultora (e lá vamos para mais uma aproximação com outra arte) que faz nascer da pedra de mármore um tecido fino em várias dobras, como uma gaze.

[...] Evoco essa Ophelia precisamente porque é o efeito que o livro A mulher submersa, de Mar Becker, causou ao meu primeiro olhar: me é familiar esse arrebatamento. Há nele, neste livro, aquele mesmo estado encantatório em que a personagem de Shakespeare/Everett parece flutuar. E quais seriam as águas em que o objeto deste livro ora ascende, ora imerge? Que águas servem de pouso para o corpo deste livro-Ophelia? A vida comezinha da mulher, tão simples à primeira vista, mas tão densa entre as calcinhas penduradas no varal e a violência que marca cada menina desde a primeira respiração. Essa é a matéria dura e densa com a qual a poeta trabalha.

Mar Becker, cuja voz possui um timbre único no cenário da poesia contemporânea feita no Brasil, apresenta-nos um trabalho maduro, tecido entre a delicadeza e a tenacidade, como uma escultora (e lá vamos para mais uma aproximação com outra arte) que faz nascer da pedra de mármore um tecido fino em várias dobras, como uma gaze. Por intermédio de rastros e vestígios se compõe esta obra feita de muitas mulheres, ora diáfanas, ora de carne mais suscetível e real em suas grossas varizes. E se da Ophelia que passa flutuando pelas corredeiras não se pode ler ou ouvir o nome, não há problema. Ela está lá, entre narcisos, ninfeias e outra flora, ecoando em Manoela, Gertrude, Virginia, Sylvia, tantas mulheres: sua mãe, sua avó, sua filha. Este é um livro de poesia. - Micheliny Verunschk

voltar à tela anterior