Infelizmente o nosso site não funciona neste browser. Por favor, atualize-o para uma versão mais recente.

A Humana oferece FRETE GRÁTIS nas compras acima de R$ 100,00
A vegetariana

A vegetariana

Han Kang
tipo livro
estado novo
capa comum
editora Todavia
ano de publicação 2018
categoria(s) Ficção
número de páginas 176
peso 300g
dimensões 21cm / 14cm / 1cm
falta temporária
No momento este item está em falta. Convidamos você a entrar em contato para avaliarmos a encomenda do que você deseja. Fone/WhatsApp: 49 3316-4566 / Instagram: @humanasebolivraria / E-mail: humanasebolivraria@gmail.com.

descrição

Uma introdução à fecunda literatura produzida na Coreia do Sul. Escrito numa prosa tão cristalina quanto impactante, este romance parece insuflar a beleza perturbadora e convulsiva de nossos sonhos mais perigosos.

"Eu tive um sonho”, diz Yeonghye, e desse sonho de sangue e escuros bosques nasce uma recusa vista como radical: deixar de comer, cozinhar e servir carne. É o primeiro estágio de um desapego em três atos, um caminho muito particular de transcendência destrutiva que parece infectar todos aqueles que estão próximos da protagonista. A vegetariana conta a história dessa mulher comum que, pela simples decisão de não comer mais carne, transforma uma vida aparentemente sem maiores atrativos em um pesadelo perturbador e transgressivo. Narrado a três vozes, o romance apresenta o distanciamento progressivo da condição humana de uma mulher que decidiu deixar de ser aquilo que marido e família a pressionaram a ser a vida inteira. Este romance de Han Kang tem sido apontado como um dos livros mais importantes da ficção contemporânea. Uma história sobre rebelião, tabu, violência e erotismo escrita com a clareza atordoante das melhores e mais aterradoras fábulas. Esta tradução, diretamente do coreano, restitui o estranhamento da obra original.

Um pequeno romance sobre sexualidade e loucura que merece seu grande sucesso.” Ian McEwan

A VEGETARIANA é um dos melhores romances que eu já li em anos. É incrível, ousado e incrivelmente emocionante. Adorei.” Laura van den Berg

voltar à tela anterior