Infelizmente o nosso site não funciona neste browser. Por favor, atualize-o para uma versão mais recente.

Promoção de abertura: frete grátis para compras acima de R$ 150,00
Morrer de Amor e Continuar Vivendo

Morrer de Amor e Continuar Vivendo

Lorena Kaz
tipo livro
estado novo
capa comum
editora Instante
ano de publicação 2018
subcategoria(s) Gênero e Feminismo
número de páginas 72
peso 383g
dimensões 28cm / 21cm / 1cm
R$ 59,90

descrição

São 64 histórias em quadrinhos que expõem de maneira sensível a complexidade das relações humanas – em especial as amorosas –, abordando temas difíceis e muito atuais, como relacionamentos abusivos, dependência emocional e pressões sociais, sobre os quais é preciso refletir e discutir.

Em 2012, Lorena Kaz desenhou a primeira história de uma página inteira que aparece neste livro. Nos dois anos seguintes, ela desenvolveu 19 outras histórias que apresentou na exposição “Morrer de Amor e Continuar Vivendo”, na Casa das Rosas, em outubro de 2014, e no Salão de Humor de Piracicaba, em agosto de 2015.

Este livro é formado por reflexões desenvolvidas a partir de suas próprias experiências, relatos de dependentes emocionais através do Mulheres que Amam Demais Anônimas (MADA), seus estudos em autodesenvolvimento com a ajuda do Centro de Valorização da Vida (CVV) e da Comunicação Não Violenta (CNV), entre outros.

Em 2016, Lorena desenvolveu as demais histórias que compõem o livro e criou no Facebook a página “Projeto Morrer de Amor – Apoio Emocional”, na qual compartilha suas experiências sobre dependência emocional.

"A Lorena, com seu jeitinho sereno, foi descobrindo aos poucos que podia expressar seus sentimentos através de um desenho que não precisa de adjetivos para se explicar. Seu novo livro está aí, tão inteligente nas suas invenções e tão criativo quanto as coisas têm que ser no universo que ela escolheu — ou que a escolheu! — para habitar com seu talento. Com um detalhe importante: sua originalidade. Na praça não tenho visto nada parecido. Esse seu livro, Lorena, faz de você uma inventora! Ou, no mínimo, uma bela menina que vive inventando moda." — Ziraldo, ilustrador.

voltar à tela anterior