Infelizmente o nosso site não funciona neste browser. Por favor, atualize-o para uma versão mais recente.

A Humana oferece FRETE GRÁTIS nas compras acima de R$ 100,00
Poesia total

Poesia total

Waly Salomão
tipo livro
estado novo
capa comum
editora Companhia das Letras
ano de publicação 2014
categoria(s) Poesia
subcategoria(s) Poesia brasileira
número de páginas 552
peso 745g
dimensões 21cm / 14cm / 4cm
R$ 82,90

descrição

A obra poética completa de Waly Salomão - um dos autores mais importantes da cultura brasileira recente - reunida em volume único.

Waly Salomão foi uma das figuras mais fecundas e heterogêneas da vanguarda brasileira. Não é à toa que Caetano Veloso, em música dedicada a ele, diz: "tua marca sobre a terra resplandece [...] e o brilho não é pequeno". Baiano, filho de sírio com sertaneja, Waly foi ponta de lança de uma geração de poetas que - num movimento de resistência à censura - contrariaram os princípios formais da tradição e pensaram a produção literária a partir de sua articulação com as outras artes, o que contribuiu para sua escrita tão permeável às diversas manifestações do inquieto cenário cultural no Brasil das décadas de 1970 e 1980. Seus versos continuaram se reinventando ao longo dos anos 1990 e 2000, e consolidaram seu papel de poeta múltiplo em livros como Algaravias, lançado em 1996.

Poesia Total reúne pela primeira vez a obra poética completa de Waly Salomão, desde Me segura que eu vou dar um troço, de 1972, até Pescados vivos, de 2004. O volume traz ainda uma seção de canções inéditas em livro, além de apêndice com os mais relevantes textos sobre sua obra, assinados por nomes como Antonio Cícero, Francisco Alvim e Davi Arrigucci Jr. Em Gigolô de Bibelôs, seu segundo livro, o seguinte verso ecoa: "tenho fome de me tornar em tudo que não sou". Tal desejo de abolir fronteiras e de confronto com os limites - entre o eu e o outro, entre a prosa e a lírica, entre a arte e a vida - é uma das principais marcas da obra de Waly Salomão. Poesia total é uma viagem sem volta: um "processo incessante de buscas poéticas", como disse o próprio autor sobre seu trabalho poético-visual, os Babilaques.

voltar à tela anterior