Infelizmente o nosso site não funciona neste browser. Por favor, atualize-o para uma versão mais recente.

Promoção de abertura: frete grátis para compras acima de R$ 150,00
Quando dizer é violentar: violência linguística e transfobia em comentários online

Quando dizer é violentar: violência linguística e transfobia em comentários online

Danillo da Conceição Pereira Silva
tipo livro
estado novo
capa comum
editora Devires
ano de publicação 2019
categoria(s) Não-ficção
subcategoria(s) LGBTQIA+, Gênero e Feminismo
número de páginas 232
peso 467g
dimensões 23cm / 16cm / 2cm
R$ 45,00

descrição

Quando dizer é violentar: violência linguística e transfobia em comentários online, de Danillo Silva, nos oferece uma proposta de articulação teórica e de trabalho analítico transdisciplinares com vistas a compreender o funcionamento da violência transfóbica na linguagem, a partir do escrutínio crítico de atos de fala produzidos em práticas digitais de interação. Mediante a consideração do caráter indexical de processos linguísticos, textuais e discursivos, o autor realiza um exercício de desnaturalização de contextos e discursos que são (re)estabelecidos, nas cenas de transfobia, para dotar determinados atos de fala de força capaz de instaurar significados particularmente violentos.

Desse modo, levando a efervescente questão do discurso de ódio para além dos marcos jurídicos e policialescos da discussão, a presente obra enseja uma reflexão ético-política em torno da relação entre linguagem e violência e, mais especificamente, do papel que a linguagem, enquanto forma de ação, desempenha na realização e na naturalização da transfobia.

Danillo Silva é licenciado em Letras/Língua Portuguesa, mestre e doutorando em Letras/Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Sergipe. Possui especialização em Educação em Gênero e Direito Humanos pela Universidade Federal de Bahia. É professor de Língua Portuguesa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas e desenvolve estudos sobre as relações entre discursos, identidades e marcadores sociais da diferença, a partir de perspectivas discursivo-interacionais e performativas da Pragmática, da Linguística Aplicada e dos Estudos Queer.

voltar à tela anterior