Infelizmente o nosso site não funciona neste browser. Por favor, atualize-o para uma versão mais recente.

Promoção de abertura: frete grátis para compras acima de R$ 150,00
Lindolf Bell: crítica de arte em Santa Catarina

Lindolf Bell: crítica de arte em Santa Catarina

Daiana Schvartz
tipo livro
estado novo
capa comum
editora Humana
ano de publicação 2020
categoria(s) Artes, Ficção
número de páginas 520
peso 950g
dimensões 25cm / 17cm / 3cm
R$ 45,00

descrição

O poeta, galerista e crítico de arte Lindolf Bell (1938-1998) foi uma presença marcante no circuito artístico. Seus trabalhos, seja na literatura com a “catequese poética”, seja nas artes visuais atuando na galeria Açu-Açu ou escrevendo em catálogos e jornais, ainda reverberam constituindo uma importante referência cultural para o século XX em Santa Catarina.

Lindolf Bell: crítica de arte em Santa Catarina é um esforço monumental realizado pela artista, professora e pesquisadora Daiana Schvartz. O livro de estreia da Editora Humana reúne 358 textos de Lindolf Bell sobre artes visuais publicados durante sua atuação como colunista do Jornal de Santa Catarina, de Blumenau, entre os anos de 1972 a 1995.

Nos textos há uma grande variedade de assuntos e abordagens, sendo que a maior parte se concentra nas atividades artísticas que tiveram vínculos geográficos com Santa Catarina, ou pela residência fixa no estado ou pelo intercâmbio a partir dele. São citados os nomes de 378 artistas de Santa Catarina e de 34 cidades. Ao final, o livro apresenta um índice onomástico que facilita a pesquisa sobre cada artista, crítico, galerias de arte e cidades de Santa Catarina citados(as). Bell aborda também as exposições promovidas pela Galeria Açu-Açu, coletivas de artistas catarinenses em diversos espaços expositivos, iniciativas de espaços culturais por todo o estado, reflexões sobre a arte catarinense. Além dos textos críticos de sua autoria, há também entrevistas, traduções, textos de outros críticos e notícias sobre a agenda cultural. Bell aproveitava o espaço que ocupava no jornal para dar visibilidade à cena cultural, para isso também usava de uma linguagem jornalística, abusando das imagens (algumas delas parte do livro), textos curtos e frases breves para uma comunicação mais direta.

Este livro foi “Contemplado no Edital nº 252/2018” promovido pela Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Chapecó.

voltar à tela anterior